sábado, 9 de junho de 2012

Um Ônibus Chamado Desejo

As aparências enganam. 
O que poderia parecer uma cena do transporte na cidade de Pelotas é, na realidade uma excursão promovida pela administração municipal para visitar obras da gestão.   
O guiamento é feito pelo prefeito, no primeiro plano, que descreve os encantos da cidade imaginada por ele.
Sentado no lugar do cobrador está o vice-prefeito.
Mais ao fundo o vereador Leite, mais novo ciclista da cidade.
É uma excursão tranquila, nada a ver com o cotidiano dos milhares de usuários de ônibus que viajam apertados, em condições bem difíceis.
No caminho não se pegam passageiros, os que ficam esperando em pontos precários não são convidados deste passeio.
Como não se paga passagem o vice-prefeito é uma figura decorativa, como cobrador, entenda-se.
O vereador Leite, que já anda de bicicleta, deve se sentir enriquecido por mais esta nova experiência de sua vida, viajar em coletivo.urbano.
Durante a excursão o prefeito deve ter discorrido muito sobre o projeto viário da cidade, em especial sobre as ciclovias e ciclofaixas que deixaram de ser criadas. 
Mas talvez tenha pulado este ponto pois ciclismo não é exatamente algo pelo que tenha apreço. 
Não se sabe se fumou, é provável que sim porque não tem muita simpatia pela proibição do fumo em locais fechados e, na ocasião, estava numa extensão de seu gabinete no qual não abre mão deste vício.
Seria apenas interessante que da próxima vez  o passeio fosse num ônibus real cuja cor não fosse rosa.
E resta saber neste palco, bizarramente evocativo de Tennessee Williams, quem é Blanche DuBois e quem é Stanley Kowalski.
  

Um comentário:

  1. FETTER PAN DEVIA ESTAR APRESENTANDO SUA TERRA ENCANTADA

    ResponderExcluir