quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Janette Sadik Khan, la mujer que transformó Times Square en una plaza pública


De visita en Buenos Aires, la comisaria de transporte de la ciudad de Nueva York habló sobre las transformaciones que llevó a cabo en su ciudad. Afirma que junto al alcalde Michael Bloomberg están implementando un nuevo paradigma para la metrópoli del futuro: más verde y más amena para peatones y ciclistas.
POR ANDRÉS HAX (Revista de Cultura)

Desde el 27 de abril de 2007 Janette Sadik Khan ha sido la comisaría de transporte de la Ciudad de Nueva York dentro de la administración del alcalde Michael Bloomberg. La semana pasada estuvo brevemente en Buenos Aires para participar en las conferencias TEDx en Puerto Madero. Pudimos hablar con ella por teléfono antes que volviera a la gran ciudad del norte.
Con tachos de pintura y barreras de cemento Sadik Khan ha cambiado el paisaje de Manhattan. Es una exageración, por supuesto, pero solo un poco. Porque aparte de las tareas inevitables y rutinarias de su cargo ( mantener la infraestructura de la ciudad) ha transformado espacios públicos, agregado bicisendas (más de 400 kilómetos)  y transformado las rutas de los buses públicos. El cambio más dramático que hizo fue convertir Times Square en una plaza peatonal. Una revolución comparable a lo que implicaría transformar todo el cruce de calles alrededor del obelisco en la ciudad de Buenos Aires en área peatonal.
Su gestión ha sido muy controversial pero ella afirma que los resultados objetivos avalan la certeza de sus apuestas. Cree con fervor que las viejas formas de pensar el transporte en la ciudad no sirven para el futuro. Sin ser enemiga del automóvil afirma que se tiene que planificar para todas las formas de transporte y dar a cada una un lugar equiparable: el peatón, el usuario de transporte público, el automovilista y el ciclista.
En el sitio PlaNYC se pueden ver los detalles de su gestión. El objetivo es  imaginar que ciudad se quiere diseñar para el año 2030. En esta mirada a mediano plazo hacia el futuro las consideraciones centrales son adecuarse para un alza en la población de la ciudad, adoptar prácticas que luchan contra el cambio climático, y mejorar la calidad de vida de los ciudadanos.

¿Cuáles son las cosas que observa al visitar a una ciudad nueva?
La primera cosa que siempre hago cuando llego a una ciudad nueva es caminar por los barrios. Entonces lo primero que te llama la atención en Buenos Aires son las calles muy, muy anchas. Y también te llama la atención la bella arquitectura. Edificios de fantasía. Entonces hay muchas oportunidades; lo primero que pensé cuando llegué a Buenos Aires fue en la gran oportunidad que tienen para aprovecharse de todo ese asfalto y hacerlo más fácil para que la gente se pueda parar y observar y disfrutar la increíble historia y los bellos edificios que tienen en la ciudad.

¿Cuanto de lo que hizo en la ciudad de Nueva York puede ser transferido genéricamente a otra ciudad?
Creo que todo. Lo que hemos hecho, literalmente, es dibujar la ciudad que queríamos ver, con pintura. Entonces hemos pintado nuevas ciclovías, moviendo los autos estacionados de los cordones. Con lo cual los autos se convierten en la barrera física para los ciclistas. Eso no requiere dinero. Y no requiere tiempo.
Con los buses, hemos pintado los carriles en rojo; y usamos tecnología, usamos cámaras para asegurarnos que nadie más se meta en ese carril. Si los autos se meten en el carril reciben una multa electrónica. Entonces no necesitas una barrera física, construida para eso – no necesitas cemento. Lo puedes hacer muy rápidamente. Y, de la misma manera, para los peatones – con el epoxy gravel (grava de resina) y pinar nuevos cordones donde antes no existían, puedes pintar una plaza, puedes transformar espacios callejeros desaprovechados y convertirlos en espacios públicos de un día para otro.

¿Cuán frágil son estos cambios? O sea, siendo tan fáciles de implementar me imagino que si viene una futura administración que esta en contra de lo que hizo les va a resultar muy fácil revertirlos.
Lo que termina pasando es que los neoyorquinos tienen mucho hambre de espacios públicos, y son hambrientos por alternativas para poder trasladarse por su ciudad. Y lo que ha pasado es que la gente esta votando con sus pies y están votando con sus Metro Cards y están votando con sus pedales. Y todos estos espacios están siendo utilizados. Estos lugares están siendo usados muchísimo. Si intentaras revertir Times Square a lo que fue antes, creo que habría protestas en las calles.

¿Cómo ha luchado contra sus criticos?
Demostrando lo que ha pasado. Hemos traído beneficios económicos a los negocios. Ellos pueden ver los resultados inmediatos de el transito adicional peatonal. La gente que camina gasta más per cápita que cualquier otro tipo de pasajero. Entonces es muy bueno para los negocios. Y dado que implementamos nuestro proyecto rápidamente, pudimos medir y ver los resultados. Y hemos visto que la movilidad ha mejorado. Entonces los tiempos de viaje en los buses están muy reducidos y la cantidad de personas que está usando los buses ha aumentado mucho. En las ciclovias hemos visto un aumento por un factor de cuatro. En los espacios peatonales hemos visto que los negocios contiguos han elevado sus ventas al público un 50% donde hay ciclovias protegidas, en comparación con los lugares sin ciclovias. Y de la misma manera, en nuestras rutas de buses –lo cual no esperarías- en esos corredores claves hemos visto un aumento de ventas en los comercios en un 70%.
Entonces le sirve para las personas para trasladarse, es muy bueno para el medioambiente, es bueno para el clima de la ciudad y es muy bueno para los negocios.

¿Estas estadísticas que cita están hechas por una empresa independiente del gobierno?
Si. Tenemos consultores externos que hacen ese trabajo y los resultados están todos disponibles online. Se llama Measuring the Street (Medir la calle).

¿Y no se disputan esos datos? ¿Sus rivales políticos no cuestionan la validez de esos datos?
No. Y vas a los negocios les gusta lo que ven. Al principio, si les preguntabas no estaban del todo de acuerdo con la idea de que sacar espacios de estacionamiento iba a beneficiar sus negocios, entonces una de las cosas que estamos intentando hacer es demostrar los beneficios asociados con esto. Necesitas tener obras hechas para poder demostrarlo. Entonces los beneficios para nosotros, en cuanto a haber implementado todos estos proyectos rápidamente, son que tenemos una gran cantidad de trabajos para mostrar y que otras ciudades también pueden usar como una fuente de ideas. Y lo más importante en todo esto es que puedes ensayar estas cosas y si no funcionan puedes devolverlas al estado en el cual estaban antes. ¿No es cierto? Entonces si no funciona para el tránsito o si necesitas hacer ajustes en el tema de estacionamientos, lo puedes hacer.

Ha recibido muchas críticas por estas implementaciones rápidas…
Bueno, todos nuestros proyectos pasan por un comité de aprobación. Hay 8.4 millones de neoyorquinos que opinan sobre el trabajo que hacemos, ¿no es cierto? Creo que eso es muy diferente de muchas otras ciudades. Aun cuando hicimos nuestro programa de compartir bicicletas tuvimos diez mil sugerencias de los ciudadanos sobre dónde ubicar las 600 estaciones. Entones tenemos que conseguir aprobación para todo lo que hacemos, pero la otra parte del puzzle es que los neoyorquinos estaban cansados de esperar diez, veinte, treinta años para ver cambios en sus calles. Estaban hambrientos para ver algo diferente. Haces un cambio, es bueno intentarlo, ¿no es cierto?
Porque el status quo no va a funcionar con ciudades que están en crecimiento. Y este alcalde, mi alcalde, esta centrado en la innovación. Prueba algo nuevo. Si no funciona, OK.

 Las bicisendas en particular suelen ser controversiales. ¿Son asociadas más con gente que tiene estilos de vida alternativos?
Una cierta generación las ve así, pero creo que realmente en el pasado nunca hemos diseñado nuestras calles con el objetivo de tener en cuenta a todas las personas que las usan. Entonces, realmente, la gente que han estado usando bicicletas ha sido categorizada como usuarios de “transportación alternativa” — no de transporte fundamental o como parte del espectro de usuarios de transporte que están contemplados en la planificación de la ciudad. Entonces de alguna manera es un poco revolucionario planificar para todos. Planificar para gente que no sea automovilista. Pero hemos visto lo que pasa cuando dejas pasar cincuenta años solo planificando para los autos. Tienes una tremenda cantidad de congestión y no tienes lugares donde las personas quieren pasar tiempo.
Y mirando al futuro, dado que las empresas pueden mudarse a cualquier lado y dado que los trabajadores capacitados pueden trasladarse a cualquier lado, tener una ciudad que es disfrutable, que es atractiva y vibrante y una mezcla de personas juntándose — eso va ser una estrategia de desarrollo económico.

¿Se imagina un tiempo en el futuro en el cual las personas vean fotos de las ciudades llenas de autos y les parezca tan raro como cuando nosotros vemos fotos de ciudades llenas de caballos?
El auto es parte de la mezcla. Yo no soy anti-auto. Soy pro-balance. Yo simplemente estoy diciendo que hay más que el auto. Si miras 50 años para el futuro creo que el hecho de que usamos nuestras calles para estacionar los autos va parecer muy anticuado. Nuestras calles son uno de nuestros bienes más valiosos cuando lo piensas. Entonces usarlas para estacionar autos… En el futuro, cuando dices ¿Qué pensarán mirando el ahora dentro de 50 años? Creo que les sorprenderá que este recurso tan valioso fuera usado de esta manera.

domingo, 25 de novembro de 2012

Deixe seu carro na garagem

Está certo que é recomendável deixar o carro na garagem e ir de bici para o local de trabalho...
Mas não é preciso exagerar e não se sinta culpado caso não atinja este grau de virtuosismo...

domingo, 4 de novembro de 2012

Cuca Fresca


Berlim está vivendo uma explosão do ciclismo com quilômetros de novas ciclovias e mais de meio milhão de percursos de bicicleta a cada dia. No entanto, contraditoriamente, o emprego de capacete raramente  é visto .
Leia a notícia

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

As Bicicletas Invadem New York



Como uma consequência digna de análise da passagem do furacão Sandy por New York observa-se um incremento de grandes proporções do emprego da bicicleta.
Um bom momento, em meio às dificuldades de toda ordem enfrentadas pela metrópole após o fenômeno, de repensar a sua filosofia de transporte.
Enquanto, no entanto, muitos encontraram na bicicleta uma forma de superar a crise, nos postos de combustível estava estabelecida uma disputa dura por abastecimento.
A gas station in Williamsburg, Brooklyn, had long lines on Thursday, and police officers to keep the peace. Officials said the fuel shortage would thin the taxi fleet.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Está pensando em trocar de bici?

Está querendo trocar de bicicleta, comprar uma nova?
Temos uma sugestão...



...un Fórmula 1 en dos ruedas
La firma UBC, que trabaja junto al equipo de carreras de Toyota, presentó dos modelos de bicicletas de fibras de carbón de alta resistencia. Mirá las fotos y contanos qué te pareció
Sí, claramente está fuera del alcance de cualquier persona de a pie. Su valor de mercado ronda los US$32.000, pero bien vale la pena echarle una mirada a este impecable diseño del italiano Christian Zanzotti. La firma Coren presentó dos modelos (uno con cambios y otra simple) que simplemente son impresionantes.
La cosa es así, la firma UBC, una empresa especializada en productos de fibra de carbon de alta densidad, que trabaja con el equipo de Toyota de Fórmula 1, decidió darle un poco más de visibilidad a su marca. La mejor forma que encontraron fue meterse en el mundo de las bicicletas bajo la firma Coren. Para ello, contrataron al diseñador Christiano Zanzotti y pusieron a su disposición todo el know how de la marca en productos livianos y de alta resistencia.
El resultado de esta unión fue una bicicleta con un diseño bien cuidado, un peso de poco más de 7 kilos y un precio fuera del alcance de cualquiera.(fonte ConexionBrando)

sábado, 20 de outubro de 2012

Pedalar?... Só quando der vontade (II)


A Câmara dos Deputados analisa projeto de Lei do parlamentar Leonardo Picciani (PMDB-RJ) que equipara bicicletas elétricas com potência de até 350 watts a bicicletas convencionais, com propulsão humana. A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro. As informações são da Agência Câmara.
Pelo projeto, as bicicletas elétricas não precisarão de registro e licenciamento. Qualquer pessoa acima de 16 anos poderá andar de bicicleta elétrica, desde que tenha autorização municipal. Esse modelo atinge a velocidade máxima de 30 km/h, de acordo com empresas fabricantes.
Picciani afirmou que a medida busca incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte. "As bicicletas elétricas exigem menor esforço do ciclista, podendo ser utilizadas por pessoas idosas ou por quem deseja chegar ao trabalho sem estar cansado ou muito suado", disse.
Segundo o parlamentar, a regulamentação atual do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) é confusa e enquadra o usuário das bicicletas elétricas ora como motociclista, ora como ciclista. "Essa situação tem gerado muitos problemas para aqueles que optaram pela aquisição e utilização de bicicletas elétricas, incluindo a aplicação de multas e a apreensão dos veículos", disse Picciani.
A proposta será analisada conclusivamente pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
LEIA TAMBÉM>>> Pedalar?... Só quando der vontade (I)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Nike cancela contrato com Lance Armstrong

A Nike cancelou seu vínculo com  Lance Armstrong: "Enganou-nos durante mais de uma década", afirmaram.
O ciclista norte-americano está suspenso de forma definitiva sob acusação de doping.
LEIA MAIS >>>>htmlhttp://www.clarin.com/deportes/reves-Lance-Armstrong_0_793720815.html

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Campeão de Ciclismo morre dirigindo automóvel

Não sei se Kyle Bennet era exatamente um usuário de bicicleta, até creio que não, mas fazia do ciclismo um meio de projetar-se como competidor vitorioso de BMX .
Chega a notícia de sua morte, aos 33 anos, em um acidente de carro ocorrido no Texas.
LEIA >>> http://news.yahoo.com/olympic-bmx-cyclist-kyle-bennett-dies-auto-accident-093119632--spt.html

domingo, 14 de outubro de 2012

Pedalar?... Só quando der vontade...

A inovação ainda não agrada muito aos puristas mas a tendência pode ser de ir ganhando mais adeptos. Não se surpreenda, portanto, ciclista convencional, quando alguém ultrapassá-lo rapidamente sem fazer esforço....
LEIA >>>  http://www.guardian.co.uk/lifeandstyle/video/2012/oct/12/e-bikes-review-cycle-video

D'UNE MAIN, IL TIENT LE GUIDON DE SON VÉLO...

Com uma mão ele segura o guidão de sua bicicleta, com a outra ele pega um pé de repolho da terra
Uma bela história , na qual a bicicleta está presente,que pode nos ajudar a  nos relacionar melhor com nosso ambiente e com a sociedade.
Boa sorte com o francês...

sábado, 6 de outubro de 2012

Respeitando os Ciclistas

Os ciclistas costumam ter muitas queixas dos motoristas.
Mas há alguns que são até muito bem educados....

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Dia Mundial sem Carro


Como parte da programação da Semana de Mobilidade Urbana em Pelotas, na data comemorativa do Dia Mundial sem Carro, está programado, no dia 22 de setembro, sábado,  um Ciclotur de conscientização.
Ponto de saída: Largo do Teatro 7 de Abril, às 14h.
Roteiro: 
Praça Coronel Pedro Osório
Lobo da Costa
Félix da Cunha
Catedral São Francisco de Paula
Anchieta
Café Aquários (XV de Novembro)
Anchieta
Retorno à Praça Coronel Pedro Osório
O Ciclotur será guiado.
Deixe seu carro na garagem e participe!
Apoio: Prefeitura de Pelotas - SEST/SENAT - MUBPEL - Pedal Curticeira

Ano Mundial com Carro

O Dia Mundial Sem Carro (22 de setembro no Brasil) propõe-se a chamar a atenção para a importância de formas alternativas de transporte e locomoção com o menor emprego do automóvel. É uma data simbólica, com eventos e atos que tem esta finalidade. Em alguns casos, inclusive, serve para marcar a conquista de espaços obtidos ao longo do ano. Por isto a data é importante mesmo sabendo que o resto do ano as ruas são dos carros.   

sábado, 15 de setembro de 2012

Helicóptero chega a frente mas não leva o Intermodal de 2012

Sempre me pergunto aonde está o erro na hora de comunicar à Mídia que o Desafio Intermodal não é uma corrida e sim uma aferição entre as diversas formas de se locomover em uma cidade, levando-se em consideração os custos financeiro e ambiental como um todo?
Renata Falzoni   
>>>>LEIA A ANÁLISE 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

DESAFIO INTERMODAL

No DESAFIO INTERMODAL na cidade de São Paulo, o trajeto de cerca de 10km teve como resultados:
- helicóptero: 22 minutos e 22 segundos
- bicicleta: 24 minutos e 7 segundos
- moto: 26 minutos e 20 segundos
- patins: 31 minutos e 54 segundos 
- carro: 1 hora e 41 minutos
- pedestre: 1 hora e 42 minutos 30 segundos


>>>  Mais detalhes >>>>

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Carrodependência tem cura?

Um bom debate... Mesmo à distância é bom estar atento.

sábado, 18 de agosto de 2012

Capacete Invisível

Deux étudiantes suédoises inventent un casque de vélo "invisible"
Constitué d'un airbag qui s'attache autour du cou, il comporte une petite bombe à hélium et un gyromètre qui permettent à la tête d'être enveloppée automatiquement en cas de choc. L'entreprise qui commercialise le système - pour le moment uniquement en Europe - espère révolutionner le casque de vélo en en faisant un accessoire de mode. L'invention a un coût, 600 dollars (485 euros), et ne peut servir qu'une seule fois

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Pedaleada por la Democracia ( Asunción)


Los colectivos sociales y políticos que protestan en contra de lo que denominan un golpe parlamentario que destituyo a Fernando Lugo el pasado viernes, llaman a una "pedaleada por la democracia" este sábado a partir de las 14:00.
Según los organizadores, la actividad comenzará en la estatua de Las Residentas, a la entrada de la Ciudad de Luque, Ñu Guazú, y recorrerá Aviadores del Chaco, Mcal. López, Brasil, Palma, Colón, 15 de Mayo y Alberdi hasta la estación televisiva estatal.
Los que quieran participar pueden ir con bicicletas, triciclo, monociclo, monopatín, etc. Habrá batucadas, mucho color y fiesta, indica una de las invitaciones que recorre las redes sociales.

A cada dia, um ciclista morre em SP

Um levantamento realizado pela Secretaria da Saúde de São Paulo revela que nove ciclistas são internados diariamente em hospitais públicos do Estado, vítimas de acidentes de trânsito. E desses nove, pelo menos um deles acaba morrendo.
Veja os desafios que os ciclistas enfrentam nas cidades
"Muitas vezes os ciclistas são atingidos por automóveis ou mesmo por ônibus, o que torna comum a ocorrência de politraumatismo", explica Jorge dos Santos Silva, chefe do setor de trauma ortopédico do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).
Segundo o médico, as lesões mais frequentes são os traumatismos cranianos e da coluna vertebral, além das fraturas da bacia, dos ossos do antebraço, do fêmur e da tíbia.
Em 2011 foram 3,4 mil pessoas internadas, gerando um custo de R$ 3,25 milhões ao Sistema Único de Saúde para tratar esses pacientes.(fonte Terra)

sábado, 23 de junho de 2012

Como ter uma bicicleta sem deixar de pensar no carro



Para pedalar e , ao mesmo tempo, não se afastar do sonho de um carro esportivo de marca, a  mais recente opção é o modelo de bicicleta One-77 Cycle desenvolvido pela Aston Martin.
São 77 modelos exclusivos ao valor de 29 mil dólares.
Uma bagatela se pensarmos que, afinal de contas, nossa sociedade é capitalista.

domingo, 17 de junho de 2012

Haddad promete integrar bicicletas ao bilhete único

O ex-ministro da educação e atual candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad, do PT, afirmou na manhã deste sábado, 16/06, que pretende implantar um sistema de integração do uso de bicicletas ao transporte público paulistano. O projeto foi o principal assunto debatido na sede do Sindicato dos Engenheiros, no centro da capital, onde o petista coordenou o seminário Conversando com São Paulo.
Haddad afirmou que, caso for eleito, vai criar uma rede de mobilidade urbana que permitirá, com a construção de bicicletários, atrelar bicicletas ao sistema do bilhete único - cartão que permite ao passageiro acesso a ônibus, metrô e trens da capital. O projeto, segundo ele, estaria sendo formatado pela equipe que discute o Plano de Governo do candidato, composta por acadêmicos e integrantes do PT.
O seminário também serviu de palco para discussões sobre educação, lazer e saúde, temas que o petista afirma terem sido "deixados de lado" pela atual gestão do PSDB na capital, como a ampliação dos corredores de ônibus e construção de creches.
O deputado federal Vicente Cândido e o vereador e presidente do Diretório Municipal do PT, Antônio Donato, participaram do evento ao lado de membros do Conselho Municipal de Juventude e da setorial de juventude do PT.

sábado, 9 de junho de 2012

Um Ônibus Chamado Desejo

As aparências enganam. 
O que poderia parecer uma cena do transporte na cidade de Pelotas é, na realidade uma excursão promovida pela administração municipal para visitar obras da gestão.   
O guiamento é feito pelo prefeito, no primeiro plano, que descreve os encantos da cidade imaginada por ele.
Sentado no lugar do cobrador está o vice-prefeito.
Mais ao fundo o vereador Leite, mais novo ciclista da cidade.
É uma excursão tranquila, nada a ver com o cotidiano dos milhares de usuários de ônibus que viajam apertados, em condições bem difíceis.
No caminho não se pegam passageiros, os que ficam esperando em pontos precários não são convidados deste passeio.
Como não se paga passagem o vice-prefeito é uma figura decorativa, como cobrador, entenda-se.
O vereador Leite, que já anda de bicicleta, deve se sentir enriquecido por mais esta nova experiência de sua vida, viajar em coletivo.urbano.
Durante a excursão o prefeito deve ter discorrido muito sobre o projeto viário da cidade, em especial sobre as ciclovias e ciclofaixas que deixaram de ser criadas. 
Mas talvez tenha pulado este ponto pois ciclismo não é exatamente algo pelo que tenha apreço. 
Não se sabe se fumou, é provável que sim porque não tem muita simpatia pela proibição do fumo em locais fechados e, na ocasião, estava numa extensão de seu gabinete no qual não abre mão deste vício.
Seria apenas interessante que da próxima vez  o passeio fosse num ônibus real cuja cor não fosse rosa.
E resta saber neste palco, bizarramente evocativo de Tennessee Williams, quem é Blanche DuBois e quem é Stanley Kowalski.
  

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Mobilidade urbana é tema de debate em Pelotas


Várias bicicletas em meio ao trânsito de Pelotas. Quem estava pelo Centro, na manhã desta quarta-feira (6), presenciou inúmeros ciclistas pedalando pelas ruas da cidade. A atividade era parte da 1ª Jornada de Estudos sobre Mobilidade Urbana, promovida pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e pelo Laboratório de Estudos Urbanos, Regionais e Ensino de Geografia. O debate, que começou na segunda, foi encerrado na tarde de quarta. O tema Novos princípios do urbanismo abre o debate sobre a mobilidade urbana em Pelotas.
A jornada, realizada no novo prédio do Instituto de Ciências Humanas da UFPel, contou com painéis sobre a mobilidade, o planejamento e a revitalização dos centros urbanos. Um minicurso em geografia do comércio e do consumo também fez parte da programação. Conforme o coordenador do projeto, o professor da UFPel Sidney Vieira, a atividade foi direcionada para os estudantes de Geografia e Arquitetura e Urbanismo, mas superou as expectativas e teve participações da comunidade pelotense. Vieira afirma que o maior desafio atual é manter a discussão sobre a revitalização urbana, tornando a cidade mais inclusiva aos meios de transportes alternativos. 
Olhar estrangeiro
Uma visita internacional qualificou os debates. O professor português Carlos Balsas, de 40 anos, atualmente mora nos Estados Unidos, onde lecionou na Universidade do Arizona. Balsas é natural de Figueira da Foz, cidade próxima a Coimbra (Portugal), e está desde domingo na cidade. Ele afirma que Pelotas, devido a sua geografia plana, possui grandes condições de implantar uma rede de ciclovias eficiente. Promover o uso do transporte coletivo e a proteção aos pedestres é o maior desafio visto pelo português na cidade.
O evento, que debateu a mobilidade urbana, o comércio e o consumo, contou com o apoio do Rotary Clube de Pelotas, da Universidade Católica de Pelotas, do JL Casarin e do MubPel 
(Por Jonathan da Silva - foto Roberto Dias-Diário Popular)

terça-feira, 5 de junho de 2012

Ferimentos Leves


Na noite desta terça-feira (5), um Ford Fiesta e um ciclista colidiram na esquina das ruas Sete de Setembro e Santa Cruz, em Pelotas. O acidente aconteceu por volta das 18h30min.
O condutor do Fiesta vinha pela Sete de Setembro quando na esquina da Santa Cruz se chocou com o condutor da bicicleta. De acordo com informações do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), o ciclista, de 57 anos, teve ferimentos leves no ombro e joelho.( Carolina Marasco, Diário Popular)


Pedalar em Pelotas

Após muitos anos de diversas ações para conseguir da parte do poder público uma atenção para o emprego da bicicleta como meio de transporte a sensação é de que muito pouco se conseguiu.
Pedalar na cidade continua sendo uma arriscada aventura cheia de armadilhas. Armadilhas reais e não apenas imaginárias.

sábado, 2 de junho de 2012

Ciclovia do Trabalhador em Rio Grande



A prefeitura do Rio Grande, através das secretarias municipais da Segurança, dos Transportes e do Trânsito, e de Obras e Viação, dá início nesta quinta-feira (31), à pavimentação asfáltica da Ciclovia do Trabalhador. A medida está prevista no Plano de Mobilidade Urbana e tem como objetivo incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte.
A ciclovia, localizada ao longo da rua Roberto Socoowski, foi criada em 2008, com vistas a diminuir o índice de acidentes registrados naquela via e agora recebe a camada asfáltica. Após a conclusão, a ciclovia ligará todo o perímetro entre o bairro Castelo Branco I e a zona portuária.
Essa é a primeira etapa de obras, em um segundo momento essa via deve ser estendida até a região do dique-seco, na Barra, como forma de facilitar o acesso ao trabalhador ao polo naval.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

terça-feira, 22 de maio de 2012

Vancouver Bike Lane

What happens when Hitler's guys are late for a meeting.
Hitler can't drive anywhere in Vancouver with his brand new car.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Audiência Pública: Mobilidade Urbana


No próximo sábado (26) a Câmara Municipal de Vereadores realizará Audiência Pública (AP) sobre o tema Mobilidade Urbana em Pelotas,  a partir de reunião com o Observatório da Mobilidade Urbana de Pelotas.
É de extrema importância que o maior número possível de pessoas possam estar presentes nesta ocasião, pois o objetivo é apresentar à população o que está acontecendo HOJE em relação à Mobilidade e quais são as idéias e práticas que estão sendo feitas para que, no futuro próximo, tenhamos mudanças contundentes neste cenário.

Quanto maior o envolvimento da comunidade, maiores serão os resultados. Então, no dia 26 deste mês, pegue a sua bicicleta e pedale até a Câmara dos Vereadores para se informar sobre a sua cidade. Sairão grupos de bicicleta dos bairros em direção à Audiência, no centro.

Bicicletada 25 Maio


sábado, 19 de maio de 2012

Investimentos e mudança de hábitos

Sob o título acima a edição de 19 de maio do Diário Popular dedica o seu Editorial a fazer algumas considerações sobre o emprego da bicicleta na cidade.
Tratam-se de considerações genéricas mas que reforçam uma tendência do jornal de dar apoio a iniciativas que visem incentivar o ciclismo.
É claro ao apontar que "o maior problema está no fato de o Poder Público na maioria das vezes se limitar a providências paliativas e localizadas". Aponta, também, que parte das melhorias observadas "pode ser facilmente atribuída a quem defende e cobras condições de uso às bikes, como o Movimento dos Usuários de Bicicletas de Pelotas ( MubPel), que neste mês completou oito anos, e o mais atual mas não menos importante Pedal Curtiçeira".
Ilustrando o Editorial uma gravura ( não a reproduzida acima)  representando uma estranha figura que lembra um guerreiro medieval, de elmo e armadura, montado numa bicicleta desproporcional à sua envergadura. O que parece demonstrar que a intenção do jornal é boa mas que ainda não tem uma leitura adequada do movimento, pacífico e ecológico, dos que defendem o emprego da bicicleta.        

domingo, 13 de maio de 2012

Observatório da Mobilidade Urbana

Buscando encontrar alternativas e soluções para questões relativas ao transporte em Pelotas um grupo de profissionais ligados ao Planejamento Urbano em conjunto com ativistas do emprego da bicicleta do MUBPel e Pedal Curtiçeira , criaram o Observatório da Mobilidade Urbana de Pelotas. Os contatos surgiram a partir da  Mesa Redonda sobre Mobilidade Urbana Sustentável, promovido pelo SEST/SENAT realizado em setembro de 2011. Temos assim uma nova tentativa de reunir forças visando superar a inércia observada, por parte do poder público, em implementar uma política mais consistente no setor. Já se perdeu a conta do número de reuniões, audiências, seminários, protestos e outras formas de chamar a atenção para a questão sem que, no entanto, se tivesse resultados efetivos em termos de sensibilizar significativamente a administração municipal. Fica no ar a expectativa de que este quadro possa modificar-se a partir das eleições previstas para este ano. Pertinente, portanto, a iniciativa de manter contatos com políticos de Pelotas que possam, eventualmente, estar presentes no próximo governo. Entre eles o deputado estadual Catarina, do PSB, na foto  reunido com o grupo.

terça-feira, 8 de maio de 2012

1º trecho de ciclovia é inaugurado em Porto Alegre


O primeiro trecho da ciclovia que está sendo construída na avenida Ipiranga, uma das mais importantes de Porto Alegre, foi inaugurado na manhã desta segunda-feira, às 10h. O percurso liga as avenidas Érico Veríssimo e Azenha, no bairro da Azenha.
O trecho possui 416 m e é pintado de vermelho, para facilitar a identificação por parte de pedestres e ciclistas. A área faz parte do projeto que pretende construir uma ciclovia em toda a extensão da avenida Ipiranga, totalizando 9,4 km de via para bicicletas.
A via para bicicletas, quando completa, ligará as avenidas Edvaldo Pereira Paiva e Antônio de Carvalho. A previsão de entrega é para o final de 2012.
O guard-rail de segurança da faixa para bicicletas possui plástico reciclável, para minimizar impactos em acidentes. O responsável é o arquiteto Rodrigo Troyano, cuja proposta bateu outras 36 concorrentes. Com o uso do material, o custo da obra completa chegou a R$ 2,3 milhões.
Ainda nesta semana, na próxima quinta-feira, 10, deve ser inaugurada a ciclovia da avenida Icaraí, no bairro Cristal, que terá 1,7 km de extensão, entre as ruas Chuí e Wenceslau Escobar. Até o final de junho, está prevista também a conclusão da ciclovia do bairro da Restinga, que terá 3,5 km na avenida João Antônio da Silveira e 1,1 km na avenida Nilo Wulff.
( vc repórter Naian Meneghetti, Porto Alegre )

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Londres: bicicletas viram tema central de eleição para prefeito

PAULA ADAMO IDOETA
Da BBC Brasil
Eleitores de Londres vão às urnas nesta quinta-feira votar para prefeito em meio a um dos mais acalorados debates políticos sobre o uso de bicicletas na cidade, num momento em que diversas metrópoles do mundo - inclusive São Paulo - buscam formas de melhorar a coexistência entre veículos de pedais e motorizados.
A reta final da campanha eleitoral londrina foi marcada por um encontro inédito dos quatro principais candidatos exclusivamente sobre ciclismo, pela troca de acusações entre os dois líderes nas pesquisas quanto a números de acidentes com ciclistas e por um protesto de ativistas pedindo mais segurança nas vias londrinas.
O uso das bicicletas é citado nos programas de governo dos principais candidatos: o atual prefeito conservador Boris Johnson promete ampliar ciclovias e o programa de aluguel de bicicletas públicas da cidade, mas aponta como prioridade o "fluxo do tráfego"; seu antecessor e principal concorrente, Ken Livingstone, diz que colocará a segurança de pedestres e ciclistas como a principal preocupação do órgão que coordena o transporte londrino.
O número de bicicletas nas ruas de Londres vem aumentando, algo incentivado por diversas razões: pedágios urbanos, que encarecem o uso dos carros no centro da cidade, o alto preço das passagens do transporte público, programas públicos de aluguel de bicicletas e as tradicionais preocupações com a boa forma e o meio ambiente.
Dados oficiais apontam que o uso de bicicletas em partes da cidade mais do que dobrou entre 2001 e 2010. Segundo o grupo cicloativista London Cycling Campaign, cerca de 540 mil viagens diárias são feitas sobre duas rodas na cidade - número significativo em uma metrópole de 8 milhões de habitantes.
A força desse grupo levou o jornal The Guardian a questionar, em seu blog sobre bicicletas, se estaria se formando um "voto ciclista" na política britânica.
"É um indicativo forte do lobby do ciclismo o fato de que, a 72 horas das eleições, os quatro principais candidatos - o prefeito Boris Johnson, Ken Livingstone, o liberal-democrata Brian Paddick e a verde Jenny Jones - tenham dedicado boa parte de sua tarde para um debate sobre as preocupações dos ciclistas", diz o site do jornal.
Além disso, no último dia 28, cerca de 10 mil manifestantes (número estimado pelos organizadores) fizeram um passeio pela cidade, para pressionar os candidatos à prefeitura a melhorar a segurança das vias para os ciclistas e seguir o exemplo da Holanda, país considerado referência europeia no uso de bicicletas.
Mortes nas ruas
Em comparação com metrópoles brasileiras, Londres é uma cidade bem adaptada ao uso das bicicletas. Muitas vias londrinas têm ciclofaixas, e muitos ciclistas só saem às ruas equipados com coletes coloridos e capacetes.
Ainda assim, a relação com os motoristas nem sempre é cordial - estes são acusados de agressividade na direção, mas alegam que os ciclistas comumente desrespeitam as regras de trânsito e furam sinais vermelhos. No ano passado, segundo o site pró-ciclismo RoadCC, 16 ciclistas morreram em acidentes em Londres em 2011. Três mortes ocorridas no final do ano desencadearam protestos pela segurança das vias.
A questão é familiar para quem convive com o trânsito de São Paulo - onde, segundo os dados mais recentes da CET, 49 ciclistas morreram em acidentes em 2010. É praticamente uma morte por semana.
'Go Dutch
"Não queremos o que acontece em São Paulo, onde vias (rápidas) de seis pistas inviabilizam o ciclismo", declarou à BBC Brasil o ativista Tom Bogdanowicz, do grupo London Cycling Campaign. "Queremos que o futuro prefeito se comprometa com uma Londres mais segura e habitável para ciclistas."
"No Brasil não há respeito ao ciclista. São considerados de classe inferior, porque o carro é sinônimo de status", opinou a brasileira Virginia Perrotti Machado, 29 anos, que mora em Londres há sete anos e também se tornou ativista do London Cycling Campaign. "Aqui, tenho uma bicicleta desde que cheguei, mas ainda me sinto insegura nas grandes vias e cruzamentos."
O grupo lançou a campanha "Go Dutch" ("Faça como os holandeses", em tradução livre), alegando que, em Amsterdã, entre 25% e 37% das jornadas diárias são feitas em bicicletas, contra 2,5% em Londres.
Os defensores do modelo holandês dizem que este inclui ciclovias separadas das pistas rápidas de rodovias, sinalização específica em cruzamentos e redução no limite de velocidade em vias menores.
Citando esses exemplos, a London Cycling Campaign pede que as novas ruas de Londres sejam desenhadas levando o ciclismo em consideração, que os cruzamentos sejam adequados às bicicletas e que haja políticas para harmonizar a convivência entre motoristas, pedestres e ciclistas, entre outras ideias.
Bogdanowicz diz que, de 12 ciclovias planejadas para a cidade britânica, quatro já implementadas foram consideradas inseguras e desconfortáveis pelos ciclistas. "Todos os candidatos concordaram com as nossas propostas, mas falar é fácil. Veremos se eles as cumprirão. Isso requer fundos e direcionamento político, (nos setores de) engenharia e transporte", afirmou.
Levantamento do Guardian mostra que o tema do uso de bicicletas é mencionado nos planos de governo dos principais partidos das eleições desta quinta, mas, em geral, apenas superficialmente.
Até mesmo o prefeito Boris Johnson, entusiasta do ciclismo e promotor de um sistema de aluguel de bicicletas públicas, é acusado de não se comprometer o suficiente com o tema em sua corrida por um segundo mandato.
Equação complexa
Por trás do debate existe uma dificuldade inerente em inserir as bicicletas na equação do trânsito de uma forma pacífica, opina o engenheiro de trânsito Ken Huddart, que nos anos 1980 comandou um projeto ciclístico oficial em Londres.
Segundo ele, até mesmo na Holanda andar de bicicleta ainda é mais perigoso do que andar de carro. "A exposição (das bicicletas) é constante. Em Londres, elas trafegam ao lado dos ônibus (à esquerda) porque é o único lugar onde podem ser colocadas", diz ele. "O esforço é para minimizar o risco, deslocá-las para vias menores e mais lentas, mas isso só funciona para quem está a passeio. Quem (está se deslocando ao trabalho) quer as rotas mais rápidas e curtas."
Foto: Divulgação/BBC Brasil



domingo, 29 de abril de 2012

Flagrante de Atropelamento de Ciclista por Motorista

A cena parece deixar explícita a intenção do motorista do automóvel de atingir o ciclista. Fica bem caracterizado um ato de natureza criminosa.

sábado, 28 de abril de 2012

Ciclotur 1º Maio

CICLOTUR dia 1 de maio em comemoração aos 8 anos do MUBPEL e 30 anos da cidade de Capão do Leão. Tur pela região, almoço em CTG local, distribuição de prêmios (troféus) para os participantes e sorteio de uma bicicleta. Saída 8h30 no altar da Pátria. Inscrições GRATUITA no lugar de largada (40 por ordem de chegada, no altar da pátria)

segunda-feira, 23 de abril de 2012

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Bicicletada para motoristas de ônibus

Promovida pelo Sest/Senat ocorreu neste domingo, 15/04/12, uma bicicletada  restrita aos motoristas de ônibus. A intenção com a iniciativa é promover o intercâmbio de experiências e estimular a educação para o trânsito pacífico, que depende da ação de todos.
A queda de braço travada entre ônibus e bicicletas parece desigual. Mesmo assim, ela nunca termina. Não
é de agora que os motoristas dos coletivos resmungam que os ciclistas andam no lugar errado, enquanto os donos das magrelas reclamam da falta
de respeito por parte dos condutores. Para acabar com essa disputa de espaço no trânsito de Pelotas, o Sest/Senat resolveu fazer uma experiência nova, trocando o volante pelo guidão.
Na edição deste fim de semana, o serviço incluiu um passeio ciclístico no cronograma do Curso de Atualização para Condutor de Transporte Coletivo de Passageiros. Os 25 motoristas da empresa Turf que passam pela reciclagem periódica e obrigatória, recebem uma retomada de conhecimentos sobre legislação de trânsito, primeiros socorros e direção defensiva, mas também irão curtir uma aula prática, ao ar livre e sobre os pedais.
A bicicletada dos motoristas partiu da sede da Turf (Duque de Caxias, 997), num  percurso de oito quilômetros passando pelas ruas dos bairros Fragata e Gotuzzo.
Entre os condutores inscritos no curso, Gilmar Camargo é um dos mais experientes. Durante os 28 anos de profissão, o motorista garante que sempre teve uma convivência pacífica com os ciclistas, mesmo não concordando com todos os hábitos deles.
Já o ciclista Leandro Karam, fundador e organizador do movimento Pedal Curticeira, acha que existe uma “distância na comunicação” entre o mundo das bicicletas e o dos ônibus e que essa iniciativa do Sest/Senat vai contribuir para uma aproximação. Karam nunca passou por algum perrengue envolvendo especificamente os coletivos, mas tem uma bronca com todos condutores de veículos maiores, que, segundo ele, “costumam fazer essas sacanagens, de fechar os ciclistas no trânsito”.
Fonte: Leonardo Crizel , Diário Popular, 16/04/12
Foto: Jô Folha

sábado, 14 de abril de 2012

O Irresistível Charme dos Ciclistas

Não há muito o que dizer sobre esta cena.na qual um ciclista é acossado por um bando de mulheres. A não ser que o ciclista corre alguns riscos. Mas, mesmo sabendo do perigo, ele não parece demonstrar estar se propondo a evadir-se. Ao contrário tudo indica que está decidido a enfrentar de frente a situação.   

quarta-feira, 28 de março de 2012

Bicicletada Torre de Babel


BICICLETADA do mês de março!
É a bicicletada - Torre de babel- Todas as pessoas são convidadas, estrangeiros, nativos, todos os que queiram praticar outros idiomas além do português são muito bem-vindos!
O intuito é pedalar e conversar...conversar bastante, seja em português ou outras línguas, enquanto percorremos ruas da cidade de um itinerário de aproximadamente 17 km , num ritmo leve.

DATA:  Sexta ,dia 30 
SAÍDA: 21h
LOCAL: CATEDRAL S. F. DE PAULA

terça-feira, 27 de março de 2012

Bicicletada "Thor"


Ciclistas da capital paulista organizam uma "bicicletata Thor" para a noite da próxima sexta-feira. Nas redes sociais, os organizadores convidam os participantes a usarem fantasias do personagem Thor, de histórias em quadrinhos da Marvel. O evento acontecerá quase duas semanas após Thor Batista, filho do bilionário Eike Batista, atropelar e matar um ciclista no Rio de Janeiro.
No cartaz do passeio, a Massa Crítica de São Paulo avisa que a fantasia mais criativa ganhará "51 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação)", uma referência à pontuação no documento de Thor. O grupo se reunirá às 18h na Praça do Ciclista e iniciará a pedalada às 20h.
Na noite de 17 de março, Wanderson Pereira dos Santos, 30 anos, morreu ao ser atropelado pela Mercedes SLR McLaren guiada pelo filho do presidente do grupo EBX com a ex-modelo Luma de Oliveira, na rodovia Washington Luís, na Baixada Fluminense. O ciclista teria sido atingido quando tentava atravessar a via.
O resultado da perícia no carro vai apontar se Thor estava no limite de velocidade da rodovia, que é de 110 km/h, como afirmou em depoimento. O laudo no corpo da vítima apontou concentração de 15,5 dg/l (decigramas por litro) de álcool no sangue de Wanderson ( fonte Terra Notícias).

sexta-feira, 2 de março de 2012

CICLOTUR – FESTA DA MELANCIA CAPÃO DO LEÃO

Descobrindo as potencialidades turísticas da região por meio do uso da bicicleta
 
DATA: 04 DE MARÇO- DOMINGO
SAÍDA: ALTAR DA PÁTRIA (Avenida Bento Gonçalves )
 CONCENTRAÇÃO: 8:30
SAÍDA: 9h
 DISTÂNCIA: Aproximadamente 32 km
 DESTINO: FESTA DA MELANCIA – CAPÃO DO LEÃO
 
INSCRIÇÃO: OS PRIMEIROS 40 CICLISTAS QUE CHEGAREM AO ALTAR DA PÁTRIA GANHAM INGRESSO LIVRE PRA FESTA.
 
 OBS: Recomenda-se usar capacete e ter a bicicleta em boas condições (freio revisados, etc..)

Ciclotur

Ciclista morre atropelado por ônibus na avenida Paulista


Um ciclista morreu na manhã desta sexta-feira após ser atropelado por um ônibus na avenida Paulista, próximo ao cruzamento com a rua Pamplona, no centro expandido de São Paulo, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O acidente ocorreu por volta das 9h45.
Os bombeiros chegaram a enviar viaturas de resgate, mas foi constatado o óbito no local. Tanto a idade quanto o sexo da vítima ainda eram desconhecidos.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o acidente ocorreu no lado direito da avenida Paulista, onde existe uma faixa preferencial para ônibus. Duas, das quatro faixas da via no sentido Consolação, estavam interditadas aguardando perícia.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Bélgica paga para cidadão ir de bicicleta ao trabalho


Muita gente acha que as bicicletas são a solução para evitar os congestionamentos. Mas como incentivar o cidadão a deixar o carro em casa? A respostas está no bolso. Empresas belgas pagam 0,21 centavos de euro por quilômetro aos seus funcionários para eles deixarem o carro na garagem e usar a "magrela".
>>>  LEIA A MATÉRIA >>>

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

BICICLETADA

O Movimento dos Usuários de Bicicleta de Pelotas, promove nesta  SEXTA DIA 24 de fevereiro a BICICLETADA.

Concentração:
A partir das 20h 30min na Pça. José Bonifácio (Catedral São Francisco de Paula)

Saída    21h

Percorreremos o centro histórico de Pelotas e ruas centrais da cidade.

Objetivos:  O Movimento de Usuários de Bicicletas de Pelotas quer difundir o respeito ao trânsito e a preservação da Vida e promoção da PAZ, sem agredir ao meio ambiente. Podem ser obtidas mais informações das BICICLETADAS (toda última sexta de cada mês, na Catedral):

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Tem Louco prá Tudo

Como se pode ver é uma corrida de bicicletas de roda gigante.
O local é a cidade de Evandale na Tasmania onde a velha tradição é mantida viva conjuntamente com o  National Penny Farthing Championships, ocasião em que bicicletas antigas são conduzidas numa variedade de corridas.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Ciclismo Molhado



Mais de um ano após a "inauguração" da ciclofaixa da Ferreira Viana ( http://www.pinhalivre-org.blogspot.com/2011/01/comedia-dos.html  ) a Prefeitura concluiu que podia pôr umas placas de reservado para bicicletas e tornar o acostamente da avenida uma ciclofaixa.
O projeto original, que previa a criação de ciclovia sobre a calçada parece que fica abandonado.
Depois da comédia das rótulas que pelo método de tentativa e erro finalmente parecem ter alcançado um dimensionamento aceitável, foi necessário um ano para se ter o entendimento do aproveitamento do acostamento.
Um grande avanço para os ciclistas, sem dúvida, embora o inconveniente dos dias de chuva pelo alagamento.
Mas pretender que a pista tivesse inclinação suficiente e pontos adequados de escoamento seria pedir demais para quem pensa de forma tão empírica as questões da mobilidade em Pelotas.