segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Bicicleta roubada


Bicicleta roubada hoje no centro de Pelotas (estacionamento do Nacional / Lobo da costa)

Hoje por volta das 11 horas roubaram minha bicicleta de dentro do estacionamento, arrebentaram a corrente e levaram. Sei que é difícil, mas não custa tentar. Quem quiser compartilhar para ajudar...

E Pelotas continua nesse mesmo caos, tu tem que ''andar com medo'' e chegar ao ponto de deixar de fazer algumas coisas por medo de ser assaltado.

Obrigado pela ajuda!!

Guilherme Bittencourt
https://www.facebook.com/guiskk

domingo, 22 de dezembro de 2013

Ciclofaixa vira estacionamento









Todos os finais de tarde a história se repete. Na  rua Andrade Neves , próximo à Av. Dom Joaquim ( Pelotas) , motoristas sentem-se à vontade para ocuparem a ciclofaixa com seus automóveis fora do horário permitido. Integrantes do Bicicross e Mountain Bike de Pelotas publicaram em sua página no facebook as fotos que reproduzimos. Segundo o relato ao interpelarem um dos motoristas dos veículos teriam sido provocados a tirarem fotos se sentiam-se prejudicados. Pois bem, as fotos foram tiradas e estão sendo divulgadas. Este pode tornar-se um procedimento sempre que forem constatadas irregularidades como esta. Esperamos também que possam servir como um instrumento para a Secretaria de Trânsito tomar as medidas necessárias o que parece ainda não ter ocorrido. Cabe ainda lembrar que a ciclofaixa da Andrade Neves foi resultado de uma luta muito intensa do movimento ciclístico com participação direta do PINHA LIVRE e não podemos permitir que haja recuos nesta conquista.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Sete bicicletas para o Laranjal


A Prefeitura está anunciando que durante  o período de 10 de janeiro a 23 de fevereiro de 2014, sete bicicletas serão emprestadas  aos veranistas da Praia do Laranjal. O serviço faz parte da programação do verão 2014. Na tarde desta sexta-feira (13), as bikes foram apresentadas pelo gerente de Esporte e Lazer da Secretaria de Educação e Desporto (Smed), Antônio Freitas. A prefeita em exercício, Paula Mascarenhas, testou um dos veículos (foto). “Precisamos estimular outros modais de transporte, e Pelotas é favorável à cultura da bicicleta, pois é uma cidade plana”, disse Paula. 
O comentário sobre Pelotas ser uma cidade plana é dispensável, isto já se tornou um bordão que todos os convidados de fora que vem palestrar, e já são muitos, não cansam de repetir e apresentam, a cada vez, como se fosse a maior descoberta.
Ainda segundo a notícia as bicicletas estarão disponíveis diariamente no quiosque da Prefeitura na orla da Lagoa, nas proximidades da Arena de Esportes. Para usá-las é necessário ter mais de 16 anos e portar documento de identidade. Após o preenchimento de um termo de responsabilidade, o usuário poderá usufruir da bicicleta por 30 minutos, tendo mais cinco minutos de tolerância para devolvê-la. Caso não devolva no prazo, será cobrada uma multa por hora a mais.
A iniciativa, sem dúvida, é positiva. 
Mas vem acompanhada de uma limitaçãp que tem acompanhado várias outras que se propõem a ser em defesa do emprego da bicicleta.
Considerando o custo , ao que parece praticamente zero porque as bicicletas já estavam disponíveis, oriundas de um outro programa, a proposta é bem tímida. Talvez se possa prever, pelo número, filas para utilizá-las. E as filas serão sinônimo do êxito da proposta ou de seu dimensionamento incorreto?
Talvez se pudesse também, paralelamente, propor o fechamento de uma pista da avenida para o trânsito de bicicletas. Como se sabe as quatro pistas, duas em cada lado, servem para o desfile de automóveis que, em marcha lenta, ajudam o gasto excessivo de combustível e a poluir o meio ambiente.
Reitero que a iniciativa é positiva mas fica aquém da propaganda que rendeu, com notícia de capa no Diário Popular e matéria de meia página. 
Ou seja, o ciclismo em Pelotas continua sendo tratado como uma criança pequena que se agrada com guloseimas.
Vamos aguardar a ciclofaixa da Félix para ver se, pelo menos neste caso, damos um passo importante.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Campeão brasileiro de ciclismo morre em acidente na estrada


Eduardo Euzébio, de 18 anos, campeão brasileiro de ciclismo, morre em acidente no Paraná na manhã desta quarta-feira (13). Ele treinava na BR-277, no litoral do estado, quando foi atingido por carro. Mais um lamentável acidente fatal ocorrido com ciclista enquanto treina em rodovia. Leia a notícia.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O Ciclismo e a Política


Quando os políticos perceberam que associar seus nomes à prática do ciclismo atraía simpatia e, possivelmente votos, passamos a conviver com inúmeras situações, a maioria insólitas, nas quais começaram a aparecer tentando equilibrar-se sobre duas rodas.
A relação hoje já é enorme.
Nem sempre, no entanto, o desfecho resulta em tombo.
Mas é o que sucedeu com o presidente Maduro, da Venezuela.
Num desfile triunfante pelas ruas de Caracas, acena para todos os lados, segurando o guidão com apenas uma das mãos.
Por mais de um momento parece perder o equilíbrio mas retoma o controle.
Até que, por fim, a queda é inevitável.
Que sirva de lição para os políticos afoitos sempre que quiserem impressionar-nos pedalando uma bicicleta.

sábado, 24 de agosto de 2013

Campeonato Zona Sul de Ciclismo - 7a. Etapa


MTB em Chuvisca


 Nova etapa do Zona Sul de MTB em Chuvisca dia 01 de setembro. Dirceu Hartwig, na coordenação do evento ,  prevê a presença de mais de uma centena de ciclistas de todo o Rio Grande do Sul e também do Uruguai.
Um  evento de grande significado para o ciclismo gaúcho e para a região sul.
Largada prevista para às 9 h 30 min.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Emprego da Bicicleta em Pelotas


Flagrante muito significativo da importância que o emprego da bicicleta tem atualmente em Pelotas. Camioneta oficial da Prefeitura ocupa vaga para bicicletas com os paraciclos já em total abandono. 
Foto Luciano Gotuzzo, postagem original no facebook

Not a car or bicycle, but a blend _ an ELF vehicle



Car-bicycle blend known as an ELF vehicle is making 1,200 mile trip along East Coast trail

By Valerie Bonk, Associated Press 
RESTON, Va. (AP) -- Mark Stewart turns quite a few heads as he zips through the streets on his neon green ELF bike. With each pedal, his feet take turns sticking out from the bottom while a gentle motor hums in the background.
What he's driving looks like a cross between a bicycle and a car, the closest thing yet to Fred Flintstone's footmobile, only with solar panels and a futuristic shape.
It's a "green" option for today's commuters.
Stewart, a 65-year-old family therapist and school psychologist from Cambridge, Mass., took the summer off in order to drive his new ELF bike more than 1,200 miles on trails and roads using the East Coast Greenway, a bike and pedestrian trail that runs from Canada to Key West.
He began his journey by flying down to Durham, N.C., on July 15, and estimates that the entire trip will take about a month. He covered the first leg, from Durham, N.C. to Reston, Va., over roughly five days, 60 miles at a time.
Needless to say, he's getting lots of questions along the way.
"It reminds me of when I saw a Smart car the first time," said Joanne Bury as she emerged from her Reston condominium building to take a look at the vehicle. "This is incredible. What is it?"
Such attention, Stewart says, is par for the course.
"I don't mind though. I mean I like that people want to talk about it," he said.
The ELF, or "Organic Transit Vehicle," can go for 1,800 miles on the energy equivalent of a gallon of gasoline. It does not require the insurance, repair and car maintenance costs of the average vehicle. Besides the cost of the occasional new tire, the ELF runs completely off what it costs to charge its battery.
Stewart bought the ELF from Durham-based Organic Transit, which sells them for a base price of $5,000. He said he wanted to avoid the almost $1,000 delivery charge, so he decided to fly down to pick up the bike in person and learn how to operate it before taking the long trip back home.
"I spent three days in the shop hanging with the guys there and learning the vehicle," Stewart said. "This is just an unsupported solo trip up here in a vehicle that nobody else really knows."
Stewart's ELF is only about the 40th to come off the production line. While few bike shop workers have seen the contraption, the materials, such as the tires and pedals, are items on your average bicycle.
Organic Transit CEO Rob Cotter took technology from aircrafts, boats and bicycles and incorporated them into a "green" 130-pound vehicle.
"About 30 years ago I was working in the performance car industry working on Porsches and BMWs," Cotter said. "At the time the world record for a streamline bicycle was 55 mph by ground and I realize that those efficiencies are capable with one horsepower. I realized from a social, ethical and environmental standpoint that we're doing something drastically wrong."
He was consulting on bike-sharing technologies being considered for New York City's proposed program when he saw there was a market for his vehicle.
"A combination of environmental catastrophes, high fuel costs, climate change and a migration of people moving to the cities all combined for a trend of people looking for an automotive alternative. But not everyone can fit a bicycle into their daily life," Cotter said.
"Issues like weather, steep hills, lack of carrying capacity, falling over and safety concerns steer many away from bicycles. The ELF was designed to address those concerns, contribute to the rider's health, cost savings and lessen their environmental impact," he said.
Demand has grown significantly, and Organic Transit has opened a second factory. The company is working on their 75th bike, with more than 200 already sold or reserved with a deposit.
"Right now we make them at a rate of one per day hand built in the U.S. but we're about to open up another facility on the West Coast to increase our efficiency sometime this year to get up to four per day," Cotter said.
While the ELF is classified as a bicycle by Organic Transit, the laws surrounding such a vehicle vary.
In the District of Columbia, where Stewart's GPS was taking him, the ELF is not allowed on the bike trails and paths. The city classifies it as a motorized bicycle.
"They can't operate the unit on a sidewalk, they can't park on a street and they can't operate on off-street bike trails or bike routes," said Monica Hernandez of the city's Department of Transportation. "The only thing you can do (on the street) is stop to unload or load the unit."
Stewart says so far he's only gotten looks of curiosity.
"A lot of cops have gone by me no one's said boo. They'll look, they're interested but they don't question its right to be on the road," Stewart said.
___
Associated Press writer Shaquille Brewster contributed to this report.

sábado, 13 de julho de 2013

Cabral, larga o helicóptero, vai de bike...



O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), afirmou na sexta-feira (12), por sua assessoria de imprensa, que não usará mais o helicóptero diariamente no trajeto de sua casa ao Palácio Guanabara, ambos na zona sul do Rio. A decisão foi tomada após ser instaurada investigação sobre suposto uso irregular da aeronave.
Cabral mora no Leblon, a cerca de dez quilômetros do Palácio Guanabara, em Laranjeiras, ambos na zona sul. Apesar da distância, o governador ia até a Lagoa, onde está localizado o hangar do Estado, e completava o percurso de helicóptero. A partir da próxima semana, o trajeto será feito com batedores.
SEGUE >>>>


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Manifestação em Porto Alegre

Bicicleta do sistema público aparece danificada após nova noite de confrontos em Porto Alegre ( foto: Felipe Schroeder Franke / Terra)

terça-feira, 28 de maio de 2013

Europa: menos automóveis, mais bicicletas

Fernando Veludo/nFactos

Os números foram revelados pela Federação Europeia de Ciclistas, que fala de uma "tendência sólida". Portugal, assegura a FPCUB, acompanha a "onda"
LEIA MAIS  >>>


quarta-feira, 22 de maio de 2013

RS 734 a estrada do ciclista voador

Documentário sobre a obra de duplicação da RS 734, na cidade do Rio Grande, no Rio Grande do Sul, que liga o Balneário Cassino ao centro da cidade, iniciada em 2006 e que até o momento, depois de três gestões do governo estadual, nenhum trabalho intensivo foi realizado para resolver os problemas de falta de acostamento, ciclovia e passarelas, fazendo com que a população pague com a própria vida pela incompetência e falta de vontade política. Cobertura da manifestação do dia 30 de agosto pela morte do ciclista Fábio Sena Barreto, ocorrida no dia 26 de agosto de 2012. RS 734 - CICLOVIA JÁ! Editado em 26 de Janeiro de 2013. Até esta data a obra continua como mostra o vídeo.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

quinta-feira, 28 de março de 2013

Taxista atropela ciclistas em Buenos Aires

 
El taxista que atropelló esta madrugada a varios ciclistas del movimiento Masa Crítica en el barrio porteño de Palermo continúa prófugo y está siendo buscado intensamente por la policía.
Según informaron fuentes policiales, "testigos registraron la patente del automóvil y se están haciendo averiguaciones para dar con el conductor".
En las útlimas horas trascendió que el vehículo pertenecería a radio taxis Premium. Consultados por LA NACION, desde la compañía advirtieron que "están investigando" pero que las patentes que se difundieron en los medios no corresponden a "un auto abonado" a la empresa.
El hecho ocurrió anoche en la avenida Figueroa Alcorta, a la altura del Planetario, y como resultado tres jóvenes resultaron heridos. Horas más tarde, tras ser trasladados a un hospital, fueron dados de alta.
Un testigo contó a LA NACION que poco después de comenzar el trayecto, a la altura de avenida del Libertador, cerca del Planetario, un hombre que manejaba un taxi atropelló a un joven y luego embistió al resto de la caravana de ciclistas.
"Vi que el taxista se llevó puesto a un compañero, la bici se fue por debajo del taxi y mi compañero se subió al capot y lo arrastró", sostuvo una joven en diálogo con C5N. Y agregó: "Había un patrullero que accionó después de que el taxista había atropellado a esta persona".
Ante la desesperación, un grupo de personas que integra el movimiento se dirigió a radicar la denuncia. Según informaron a LA NACION desde la comisaría 23, que interviene en el caso, tras el incidente actuó un patrullero de oficio. La policía intenta dar con el paradero del taxista, que se dio a la fuga.
El movimiento de ciclistas Masa Crítica, se originó el San Francisco en 1993, y desde hace cuatro años se realiza en Buenos Aires el primer domingo de cada mes, a las 16 en el Obelisco y también las noches de luna llena a las 21, en el mismo lugar ( La Nación )

segunda-feira, 18 de março de 2013

Ciclofaixa central: a discussão. Para se sair do lugar

Já há posicionamentos significativos , dentre outros Pedal Curticeira, Pinha Livre, vereador Marcus Cunha , além do próprio Guto King que faz parte da administração, em favor da Félix da Cunha. 
Esta opção, aliás, surgiu na própria reunião que foi feita para tratar do assunto. Sucede que, possivelmente, a influência dos que não entendem necessária a ciclofaixa, possa estar se fazendo presente embora não manifestada claramente em nenhum momento.
 Esta influência, em principio, por privilegiar o automóvel, quer a bicicleta o mais longe possível do centro.Uma ciclofaixa quanto mais central mais se contrapõe à cultura de estacionar no centro da cidade e de chegar de carro em todos os pontos.
Então pela ordem devem preferir , se não houver a opção de não se efetuar a obra, primeiro a Barroso, depois a Santa Cruz e, sob indignação, a Félix da Cunha. 
No caso da Andrade Neves o processo foi semelhante pois foram apontadas alternativas que tiravam a bicicleta do eixo central ou a jogavam em vias de tráfego intenso como a Osório.
No caso presente começamos a chegar num ponto em que as discussões tendem a se tornar retóricas. 
Cabe à administração, de posse das opiniões já manifestadas e com base no próprio discernimento, tomar a decisão e assumir a postura política que esta decisão implica. 
Uma ciclofaixa nos moldes que estão propostos é uma obra simples, de baixo custo que já poderia ter começado ontem. 
Aliás o que deveria já ter sido proposto com fins de implementação não é tão sómente a criação de uma ciclofaixa interligando a avenida Bento com a Gomes Carneiro mas um plano viário completo para o emprego da bicicleta.

domingo, 17 de março de 2013

SP: ciclistas protestam

Em São Paulo ciclistas protestam no prédio de Haddad após mutilação de jovem atropela por um carro sobre a ciclofaixa.
Os manifestantes foram recebidos pelo filho do prefeito, Frederico Haddad, que prometeu agendar uma audiência para a próxima semana

LEIA MAIS >>>

As ciclofaixas são seguras ? (II)

Segundo a matéria divulgada a seguir, não. Falta de respeito dos motoristas, buracos, ausência de recapeamento, carros parados em fila dupla e veículos em alta velocidade. Esses são alguns dos problemas enfrentados rotineiramente por ciclistas na cidade de São Paulo, segundo levantamento feito pelo Estadão.com.br, que mapeou os pontos perigosos na cidade. Além disso, há falhas de sinalização em ciclovias.
LEIA >>> http://br.noticias.yahoo.com/vias-pr%C3%B3prias-bicicleta-tamb%C3%A9m-s%C3%A3o-inseguras-114800698.html

quinta-feira, 14 de março de 2013

Ciclofaixa central : a discussão. Um passo atrás?

 Logo após a reunião realizada pela Administração Municipal, ao ar livre,à noite, na praça Coronel Pedro Osório e que propunha demonstrar uma postura distinta, democrática, em relação à questão do emprego da bicicleta somos surpreendidos pela seguinte notícia, divulgada através da coluna Espero Corrido, no Diário Popular (14/03/13): 

PEDAL 
Informação complementar sobre o aqui publicado, a respeito da possível ciclofaixa na Félix da Cunha. Não deverá sair tão cedo. O estudo é feito para a Barroso ou Santa Cruz, que teria a preferência. Se for para a Barroso, esta terá, finalmente, mão única, sentido Bento Gonçalves/Dom Pedro II 

Cabe destacar que o objetivo da reunião realizada na praça seria justamente ouvir a posição dos ciclistas quanto à opção entre a Félix da Cunha ou Santa Cruz para implantar uma ciclofaixa central. 
Pois bem, a opinião foi ouvida com manifestações favoráveis à primeira alternativa do Pedal Curtiçeira e Pinha Livre. 
O vereador Marcus Cunha, apoiador do movimento, também manifestou-se da mesma forma no Pinha Livre. A notícia de que a ciclofaixa não sai tão cedo e não seria na Félix da Cunha é decepcionante. 

Desdobramentos da Discussão
 http://www.facebook.com/groups/pedalcurticeira/440067159400790/?notif_t=group_comment_reply

domingo, 10 de março de 2013

As ciclofaixas são seguras?

Foto: Fábio Condutta / Terra

Um ciclista perdeu o braço na manhã deste domingo após ser atropelado na avenida Paulista, em São Paulo. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o motorista do carro fugiu sem prestar socorro. Mais tarde se apresentou e, detalhe sórdido, confessou ter jogado braço da vítima em rio.

SEGUE >>>
 

sábado, 9 de março de 2013

Criatividade e Originalidade






































Olá amigos e amigas!

Venho por este meio pedir-vos um grande favor..
A minha prima está a participar num passatempo promovido pela Lisbon Cycle Chic em colaboração com a H&M / Brick Lane Bikes para ver se ganha uma bicicleta nova.

É só abrir o seguinte link da foto e colocar um gosto/like:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=566234003400395&set=a.566233940067068.1073741825.126591120698021&type=1&theater

Ajudem lá! Ela merece pela sua criatividade e originalidade!! :D
Obrigado a todos!

quinta-feira, 7 de março de 2013

Ciclofaixa central : a discussão

Observando algumas manifestações a respeito da localização da ciclofaixa que se pretende criar na região central de Pelotas, inclino-me, num primeiro momento, pela opção da rua Félix da Cunha. Seria, sem dúvida, a oportunidade de demarcar o espaço central, pela demonstração de que ele não é exclusivo dos carros. Transcrevo, portanto, a manifestação do Pedal Curticeira que encaminha sua proposta neste sentido.

 Entre as duas opções, a mais audaciosa/ousada, indubitavelmente, é a Félix da Cunha. Por diversas razões:
Seria a representação prática de que o atual governo está disposto ao rompimento de paradigmas, de forma a horizontalizar a Mobilidade Urbana, revendo a situação de prioridade aos motorizados, historicamente acondicionadas ao processo de expansão das cidades (ver SagaCity) e dando igual condição à circulação de bicicletas, veículo limpo, saudável, integrador, humano e acessível de todos, exceto de nossas próprias pernas. 
Valorização do patrimônio histórico da cidade e possibilidade de contato saudável deste com as pessoas, pois estimularia a mais pessoas se exercitarem conjuntamente com seus compromissos diários (sendo realizados de bicicleta) e atraindo as pessoas para interagirem com praças (Cel. Pedro Osório e José Bonifácio), universidades (Direito UFPel, Auditório e Reitoria UCPel), escolas (São José e Gonzaga) e prédios históricos.
Ativaria a economia local e ativaria o marketing criativo de vários comércios locais que deverão se “antenar” no grande e potencial público ciclista para gerar benefícios à clientes que forem às suas lojas de bicicleta. Quer mídia mais saudável que essa?!?
A partir da implementação do iminente estacionamento rotativo previsto ainda para este ano, não haverá mais aquela desculpa de clientes de carro encontrariam barreiras para comprarem em suas lojas. A tendência lógica e natural já é o desestímulo ao uso de motorizados, e quanto mais em área central, onde se deve estimular a circulação de pedestres e de forma segura, sem a ameaça iminente de veículos em alta velocidade.

Concluo avaliando a metodologia de reuniões desta natureza em espaços como o escolhido, ou seja, ao ar livre. Dispomos, quase ao lado, da Biblioteca Pública e do saguão da Prefeitura ( principalmente este último), dois espaços que preenchem condições muito boas para tal tipo de reunião sem as limitações de intempérie, de som nem desconforto. Além disto mais do que demarcar a presença do Poder no espaço público é interessante caracterizar a presença do público no espaço de Poder o que, historicamente, não ocorre.
Poderia ser a oportunidade, aliás,  de criar nestes locais um estacionamento para bicicletas.
De resto, nesta breve apreciação, pode-se concluir que, sem dúvida, os interesses do ciclismo dão ares de perspectivas bem positivas.  
O interesse existe e os defensores do ciclismo estão mobilizados.
Vamos aguardar a ciclofaixa central que, esperamos, seja realmente central.


domingo, 3 de março de 2013

Cuidado com o Veado



Em algumas regiões dos Estados Unidos, como é o caso da Virginia, os veados são muito comuns nos bosques. E, às vezes, surgem de onde menos se espera. O cinematografista do vídeo que o diga...

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Um conhecido Ciclista Anônimo

A foto está fora de foco, por uma desatenção minha , creio que em razão do movimento, mas capta um momento, ocorrido durante as Bicicletadas do Movimento de Usuários de Bicicleta de Pelotas, da participação histórica do ciclista Alex Lettnin.
Alex, seguidor do PINHA LIVRE,  continua pedalando e muito atento, conforme se pode deduzir pelas suas contribuições, às condições do ciclismo em Pelotas.
Embora não esteja no anonimato, pois é bem conhecido pelo seu trabalho artístico, Alex tem o espírito de um Ciclista Anônimo.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Pedalada de Verão


Pai e filha pedalando. Um cambão entre as bicicletas ajuda bastante
Com promoção do Diário Popular realizou-se neste domingo (17), a 1ª Pedalada de Verão em conjunto com a ação "Bike Suja Menos".
A referência deve ser ao automóvel pois bicicleta não apenas suja menos, na verdade não suja nada.
Segundo a notícia do jornal ,  “o projeto, que é promovido pelo jornal Diário Popular juntamente com a Prefeitura de Pelotas e os seus patrocinadores, está em seu segundo ano e tal como vem acontecendo no mundo o foco principal deste momento é incutir na sociedade mais consciência sobre como preservar um ambiente limpo e sustentável para se viver.” 
O Pedal Curticeira ,que vem atuando intensamente no incentivo ao emprego da bicicleta , deu apoio logístico aos participantes durante os 10 km do percurso entre o Parque da Baronesa e o Chafariz do Laranjal.
Pequeno detalhe da extensa fila de bicicletas
O número de participantes mostrou-se expressivo demonstrando a receptividade da promoção. 
É verdade que deve ter ajudado a manhã ensolarada de domingo, embora de sol forte, e o sorteio, entre os participantes, de 2 bicicletas e muitos brindes. 


sábado, 16 de fevereiro de 2013

NOVA CICLOVIA EM PELOTAS

photo Paul Krueger

Implementando uma nova política de Mobilidade, isto depois de muitos estudos e discussões com todos os segmentos envolvidos, optou-se em Pelotas por abrir mão de outras alternativas sugeridas de criação de ciclovias, inclusive a de compartilhamento com transeuntes e veículos em geral ( no caso de Pelotas inclusive carroças), e decidiu adotar  um modelo convencional, talvez ultrapassado, mas que ainda é o que alcança melhores resultados principalmente quanto à segurança e bem estar do ciclista. 
Segundo especialistas a ciclovia é de padrão internacional comparável às melhores ciclovias da Europa, especialmente da Holanda.
Na foto podemos ver a ciclovia já implantada embora ainda em período de testes. O carro que se vê na foto é da equipe que monitora os resultados.
O canteiro acabou sendo o que, ao final, gerou mais discussão pois os defensores do espaço do automóvel entendiam que não podiam ceder tanto. 
É bom esclarecer, também, que anteriormente o espaço ocupado pelo ciclovia era utilizado  para estacionamento de carros.
Todos entenderam, no entanto, a importância da alteração até porque o órgão responsável deixou muito clara a intenção de efetuá-la.
Em seguida, para inaugurar a obra, será realizado um passeio ciclístico, com a presença de autoridades, convidados e representantes do movimento ciclístico.  
A data será divulgada logo a seguir. Vamos todos nos fazer presentes!

Observação: A fonte da qual foi obtida esta informação não deixa explícito se a cidade é efetivamente Pelotas. Olhando com mais cuidado a foto não conseguimos identificar o local. Mas se não for Pelotas tem semelhanças.. Senso de humor é preciso...Ou, parafraseando um inspirado jornalista pelotense, " A notícia acima é falsa mas, pelo menos, a gente avisa."..

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Seguro para Bicicleta: Alternativa?


O problema de roubo de bicicletas é antigo e muitos de nós já fomos vítimas.
Na falta de pontos adequados para deixar as bicicletas este risco é muito grande.
Agora em São Paulo ciclistas podem fazer seguro especial em caso de roubo.
Com mais ciclistas e equipamentos modernos nas ruas, também cresce número de furtos; um em cada três .
Veja reportagem 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Documento do Processo de Criação da Ciclofaixa da Andrade Neves

No momento em que as perspectivas e as condições para o emprego da bicicleta em Pelotas parecem, finalmente, encontrar um cenário favorável, o PINHA LIVRE tem buscado, em seus arquivos, referências anteriores deste processo. Uma delas, possivelmente, possa ser a correspondência por nós encaminhada ao secretário de Transporte e Trânsito, na época Jacques Reydams,  quando, em plena discussão para a implantação da ciclofaixa da Andrade Neves, o chefe de Gabinete da Administração Municipal, Abel Dourado, declarou que o processo aguardaria na gaveta. Sugerimos, para leitura, clicar sobre a imagem com o botão direito do mouse e abrir o link em outro guia ou outra janela.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Agora vai?

foto de autoria não mencionada
Momento durante o Fórum Social Temático (FST), realizado no auditório do Ministério Público em Porto Alegre. 
O tema era “A Consolidação da Bicicleta na Mobilidade Urbana – desafios e soluções para inserir a bicicleta como meio de transporte." 
Presente o arquiteto e urbanista da Secretaria de Gestão e Mobilidade de Pelotas/RS, Guto King. Na oportunidade comentou que a experiência de Porto Alegre serve de parâmetro para o trabalho que é realizado em sua cidade. Segundo suas palavras “Estamos acompanhando o exemplo da Capital para desenvolver as nossas ciclovias. Pelotas é uma cidade histórica e queremos que a bicicleta faça parte da rotina do trânsito. Também estamos avaliando ações como as bicicletas públicas”.
Considerando as condições quase perfeitas de Pelotas para o incremento do emprego da bicicleta, bem diferente das condições de Porto Alegre, e a disposição manifestada pela Administração Municipal, traduzida pela indicação da arquiteta Josiane para a Secretaria, é só prevalecer o bom senso e o espírito prático para termos em pouco tempo uma melhoria substancial  nesta questão.
  

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Quando tudo começou...

Esta foto ( caberia resgatar o nome do fotógrafo e a data) tem um significado muito grande para as Bicicletadas. Acho que em algum momento intitulei-a, Projetando a Bicicletada e reúne, creio que numa sala do curso de inglês You and Me, o grupo fundador do Movimento de Usuários de Bicicletas de Pelotas. Da direita Giancarlo Bachieri, P.R.Baptista, Guto King e Horacio Severi. Muitas idéias, muitos projetos, muitas reuniões, muitas Bicicletadas.

Ciclistas fazem homenagem a amigo morto no trânsito de Porto Alegre

foto Adriana Franciosi/ RBS

Cauã Coutinho, 23 anos, morreu no dia 12 ao ter sua bicicleta atingida na Avenida Cristóvão Colombo
Uma bicicleta branca depositada perto do número 2.927 da Avenida Cristóvão Colombo, em Porto Alegre, serve desde a noite desta sexta-feira como testemunho da comoção provocada pela morte do estudante de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Cauã Vasquez Coutinho.
Com formatura marcada para este semestre, o jovem de 23 anos tombou ao ter sua bicicleta atingida por um carro na madrugada do dia 12. Morreu dois dias depois.
Ativista do Massa Crítica, movimento que difunde o uso da bicicleta, Cauã foi o homenageado no tradicional passeio promovido pelo grupo na última sexta-feira de cada mês. Emocionados, os amigos acorrentaram uma ghost bike (bicicleta fantasma) no local onde o rapaz foi atropelado. Depois, cobriram-na de flores.
A morte de Cauã abalou uma larga comunidade de amigos. A própria família surpreendeu-se com a dor manifestada por gente que o jovem havia cativado ao longo da curta vida.
— Eu conhecia um filho e tinha orgulho dele. No dia do enterro, conheci outro Cauã, por meio do carinho que as pessoas tinham por ele, e fiquei ainda mais impressionado. Foi um cara bem maior do que a vida que teve — conta o pai, o dentista Paulo Coutinho, 48 anos.
Ex-aluno dos colégios Bom Conselho e Rosário, Cauã ingressou na UFRGS em 2008. O primo e ex-colega de faculdade Augusto Bacelo Bidinotto, 22 anos, conta que ele sempre ia pedalando para as aulas e defendia entre os colegas a adoção de um meio de transporte sustentável.
— Era uma figura bem diferente. Todo mundo vinha de carro, mas ele chegava de bicicleta, todo de branco. Era um cara sempre pilhado, o campeão da indiada. Nunca recusava um convite. Estava sempre disposto — conta.
O amigo de infância Tiago Braatz, 23 anos, acredita que a popularidade de Cauã se explicava pelo caráter agregador, pelo entusiasmo com que defendia ideias, pelo engajamento.
— Ele era peculiar, diferente, de personalidade forte. Havia sempre muita gente ao redor — revela.
Cauã também dava mostras de que seria um profissional diferenciado. Recentemente, durante um curso em que atendia uma idosa, disse a ela que teriam de comemorar depois de terminado o tratamento. Na última consulta, a mulher apareceu arrumada e convidou-o a sair. Cauã cancelou o compromisso com a namorada para levar a paciente ao Chalé da Praça XV. Voltou para casa faceiro:
— Conheci uma amiga do Erico Verissimo! — contou.
Erico foi uma paixão da infância. Aos nove anos, Cauã pediu O Tempo e o Vento aos pais, devorou o livro e transformou o Capitão Rodrogo em seu herói. Em 2001, aos 12 anos, depois de ganhar um prêmio literário, serviu de guia para uma reportagem de ZH na feira do Livro.
Seguindo a vontade dele, a família doou todos seus órgãos. Apenas um rim não pôde ser aproveitado. Quando Cauã morreu, o pai estava em Macau, na China, onde moram sua mulher e a filha. A viagem de 30 horas incluiu trechos em barco, helicóptero e avião. Ao chegar no imóvel que dividia com o filho, Paulo Coutinho encontrou a luz acesa e a TV ligada. Concluiu que Cauã havia saído com o intuito de voltar logo, no dia do acidente.
— O importante é alertar para o uso do capacete. O corpo do meu filho estava inteiro, mas ele teve morte cerebral. Com o capacete, talvez estivesse vivo — diz o pai, participante do Massa Crítica por influência de Cauã.
( texto Itamar Melo- Zero Hora )

domingo, 27 de janeiro de 2013

As Bicicletadas II

Ao rever o movimento das Bicicletadas uma menção deve ser feita ao Diário Popular. Embora seguindo uma linha editorial conservadora em seu todo, o movimento das Bicicletadas, enquanto notícia, teve espaço.
Algumas Bicicletadas, inclusive, reconhecendo este apoio, saíram ou passavam em frente à sede do jornal. A foto acima documenta um destes momentos prévio a uma Bicicletada na qual pode-se ver, confabulando, P.R.Baptista, Horácio, Guto e João Manoel King. Na calçada fazendo a pauta Joice Lima na época repórter do jornal.   
Algumas Bicicletadas ( creio que a maioria) tinham muitos participantes de modo que era necessário monitorar o seu andamento em meio ao trânsito, às vezes correndo até o seu final para não deixar o grupo se dispersar. Quem fazia isto muito bem era o Gian que podia estar tanto na frente do pelotão como, no mesmo instante, buscar os que corriam risco de se extraviar às vezes até alguns quarteirões para trás. Na foto acima podemos vê-lo em plena atividade. 
Em outra foto de interesse vemos o atual vereador Marcus Cunha presente na concentração em frente à Catedral. Devia ser período eleitoral pois carrega uma bandeira de campanha. A sigla partidária na época era o PSB do qual se desfiliou.



quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

As Bicicletadas

                                                                                                    foto P.R.Baptista
Com a criação do Movimento de Usuários de Bicicleta de Pelotas parecia que íamos revolucionar o emprego da bicicleta em Pelotas. Tendo à frente um grupo formado por P.R.Baptista, Horacio Severi ( na foto promovendo o sorteio), Guto King e Giancarlo Bachieri, organizamos várias bicicletadas. O mais entusiasmado sempre era o Horácio mas o Guto e o Giancarlo davam um apoio indispensável e eu, além do apoio, mantinha o PINHA LIVRE divulgando.
Percorrendo o centro
 Num dado momento a participação começou a crescer e chegamos, na ocasião da foto acima, a reunir perto de 200 ciclistas. 
Mas foi exatamente nesta bicicletada que comecei a fazer uma autocrítica do movimento. Lembro que havia o sorteio de uma bicicleta ( além de outros acessórios) e ao meu lado estava um senhor, nitidamente pobre, que aguardava esperançoso. 
A sorte, no entanto, coube a um casal que já tinha me chamado a atenção na concentração. Chegaram cada um em bicicletas novas com uma cestinha presa ao guidão carregando um cachorrinho pequeno. Não lembro se nas duas mas em uma das bicicletas certamente. 
Ainda fizemos várias outras bicicletadas mas, aos poucos, o espírito foi mudando.
O foco tornou-se mais o lazer deixando de ter a questão política a mesma atenção.
Agora, contudo, há novas perspectivas, inclusive alguns avanços concretos com o surgimento de ciclofaixas na área central e no perímetro urbano. 
Talvez fôsse o momento de retomar, com novos participantes e novo enfoque, o entusiamo enorme daquelas bicicletadas. 

.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Armstrong fala sobre o doping em Entrevista


Armstrong confiesa que se dopó ante Oprah Winfrey
El diario USA Today adelantó que el ciclista aceptó que utilizó sustantancias prohibidas en un reportaje de la TV de Estado Unidos
LEIA A MATÉRIA >>>

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

2º FÓRUM MUNDIAL DA BICICLETA



Porto Alegre realiza o Fórum Mundial da Bicicleta. 
O evento, em sua segunda edição, ocorre  de 21 a 24 de fevereiro com o tema “Pedalar para transformar”.
Programação e mais detalhes no site >>>>>
http://vadebike.org/2013/01/forum-mundial-da-bicicleta-porto-alegre/